Segunda-feira, 1 de Dezembro de 2008

Carta ao Pai Natal

 

 

Quando os meus filhos eram pequenos, desde muito cedo me recordo das cartas que eles escreviam ao Pai Natal, ainda mesmo sem saberem ler nem escrever. Eram uns rabiscos que só as mães sabem decifrar, mas era uma tarefa que eles levavam muito a sério! Só que eu tinha que pedir para eles me lerem o documento, para eu conseguir perceber o pedido.

 

Hoje como eles já cresceram, e deixaram de acreditar no Pai Natal, chegou a minha vez de o fazer.

 

Então vou começar, (espero que o Pai Natal seja um “rapaz” moderno que ande a passear pelas internetes).

 

Olá Pai Natal, estou a escrever a minha primeira carta para ti, espero que não esteja muito frio por aí, e que a Mãe Natal esteja de boa saúde, nós por aqui tudo bem, ou como a malta nova diz, tudo Bué da fixe, (estou tentando me adaptar a estas novas palavras, quem sabe se não farão parte do novo acordo ortográfico?)

 

Então é assim, começo por pedir o que quase todas as pessoas querem, que é paz para o mundo, sei que não é fácil mas não custa nada dar uma ajudinha.

Depois, podes oferecer umas férias prolongadas à D.ª Crise? É que estamos fartos de ouvir falar nessa senhora, e com um pouco de sorte ela ficaria longe por muito tempo.

 

 

Também fazem falta uns aviões que nos levem daqui até ao Continente, a preços mais simpáticos, que estes que cá temos estão pela hora da morte.

Queria pedir-te um empurrãozinho nas obras da Via Vitorino Nemésio, é que já parecem as obras de Santa Engrácia, sabes, já não se aguenta tanta confusão ou será tanta incompetência?

 

E se ajudasses a resolver o imbróglio em que se tornou o processo da Casa Pia? Já não há pachorra... e os “coitados” dos pobres ricaços envolvidos nos escândalos com os bancos? È de mais! Este país está mesmo de rastos só mesmo tu, ou o Menino Jesus, podem fazer alguma coisa, enfim!

 

Olha, vê lá se podes fazer alguma coisa pelos meninos que não vão receber brinquedos este Natal, ao menos que tenham um tecto sobre a sua cabeça e alguém que olhe por eles, alguém que os proteja dos maus (sei que este não é bem o teu departamento, mas sabes, os “lobbies” estão na moda).

 

Agora termino, se calhar ainda volto a escrever-te, é que eu não era bem isto que queria pedir-te, mas foi o que me deu para escrever. Até à próxima. 

publicado por artesã às 09:58
link do post | comentar | favorito

Mais sobre mim

Pesquisar neste blog

 

Janeiro 2018

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
19
20

21
22
23
25
26
27

28
29
30
31


Posts recentes

D. Amélia dos olhos trist...

De volta!

Mãe...

...

40 anos...

...

Saudade

...

Balada da neve

Páscoa

Arquivos

Janeiro 2018

Maio 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Dezembro 2014

Setembro 2014

Julho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Julho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Outubro 2012

Julho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007